Denúncia! Deputado protesta e diz que Br 364 terá vários pedágios, cinco anos antes de começar a duplicação

Porto Velho, RO - O deputado estadual Cirone Deiró, de Cacoal, foi ler detalhes do edital sobre a concessão da BR 364. E ficou com todos os poucos cabelos arrepiados! No edital, o Ministério da Infraestrutura prevê a instalação imediata de oito praças de pedágios. 

O motorista de uma carreta pagará no trajeto de Porto Velho a Vilhena até 700 reais de pedágio. Até aí, já se sabia. O que não se sabia é que os pedágios podem ser instalados, segundo detectou o parlamentar, mesmo que a rodovia não seja duplicada. 

Outro detalhes vital, que deixou Cirone Deiró boquiaberto, como certamente deixará a todos os rondonienses, é que concessão revela que a tão sonhada duplicação da nossa mortal rodovia, só será iniciada depois de cinco anos da concessão e contemplando pouco mais de 100 quilômetros, incluindo apenas os pontos críticos, não os mais de 1 mil quilômetros, que vão desde Vilhena até a fronteira com o Acre. 

“Venderam a imagem de que a concessão seria realizada para duplicar a BR 364, única via de transporte de toda a produção agrícola do Mato Grosso e Rondônia, mas, na prática, a única mudança imediata será a instalação das praças de pedágios para explorar os rondonienses”, protestou. 

Para o deputado Cirone um projeto que trata de um tema tão relevante para os rondonienses como é a concessão pelo período de 30 anos, da BR 364, não poderia ter sido discutido e decidido em gabinete por técnicos de Brasília que desconhecem a realidade dos rondonienses e de todos os trabalhadores que usam diariamente a rodovia. Hoje, do total de 784 quilômetros de pista simples, entre Vilhena e Porto Velho, apenas 22 quilômetros e meio são duplicados.

Para saber todos os detalhes do assunto, Deiró chegou a propor uma audiência pública para que os técnicos do Ministério da Infraestrutura, apresentarem a proposta na fase de estudos e receber as sugestões dos caminhoneiros, empresários, lideranças e a sociedade local como forma de assegurar a voz dos rondonienses nas decisões para o processo de concessão, mas tal proposta foi ignorada pelas autoridades federais. 

Cirone lembrou, ainda, que a BR 364 foi pavimentada ainda na década de 80 e tem importância estratégica para o desenvolvimento da região norte. Segundo ele, “40 anos depois, é urgente a execução de obras de melhorias e da construção da terceira faixa, considerando o grande volume de carretas e veículos de pequeno porte que transitam diariamente pela rodovia. 

“São milhares de carretas transportando soja do sul de Rondônia e oeste do Mato Grosso até Porto Velho para ser enviada via Porto Graneleiro ao Amazonas e de lá para o Oceano Pacífico. Da forma como está sendo apresentada a concessão representará mais um componente para inflacionar o custo do transporte, sem nenhuma contrapartida para os usuários”. Espera-se reações das nossas autoridades, contra esse abuso.

Fonte: Opinião de Primeira de Sérgio Pires
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem