MPF apura ofensas de vereador de Cacoal contra mãe de santo


Porto Velho, RO - No dia 02 de dezembro do ano passado, o vereador de Cacoal, Magnison Mota (PSC), durante um discurso em sessão na Câmara, teria falado várias ofensas contra uma mãe de santo, conhecida como Yolanda.
A partir da suposta intolerância religiosa, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou um inquérito civil público, a partir de uma representação, protocolada no mesmo dia dos ataques.
Na última segunda-feira (14), o presidente da Câmara de Cacoal, João Paulo Pichek (Republicanos), recebeu um ofício a ser respondido em até 45 dias, se houve apuração e/ou eventual procedimento ético-disciplinar contra Magnison Mota.

O procedimento (n° 1.31.000.001160/2021/87) traz um vídeo onde Magnison falou na tribuna que a mãe de santo Yolanda era “feiticeira”, “endemoniada”, “filha do capeta”, “macumbeira”, por colocar anúncios em postes da cidade como forma de divulgação do seu trabalho.

Magnison Mota ainda seguiu a série de ataques na sessão da Câmara como a seguinte frase: “Falo um negócio pra você, macumbeira, se você for lá perto de casa e eu ver você, eu dou com fogos de artificio lá e você vai sair queimada de lá”.



Comunidades de umbanda e candomblé de Cacoal participam de sessão da Câmara de Vereadores de Cacoal, convidados pelo vereador Paulo Henrique (PTB)

À época, o vereador Paulo Henrique (PTB) foi o único a sair em defesa das comunidades de candomblé e umbanda de Cacoal.

“É nosso dever dizer `não´ à intolerância religiosa, em defesa do Estado laico e preservação da dignidade da pessoa humana, fundamentado na Declaração Universal dos Direitos Humanos e na Constituição Federal. Devemos dar respeito e proporcionar liberdade de culto sem intolerância ou incitação ao ódio, devendo ser repudiado veementemente quando propagado por representante do povo”, destacou ele.

O Rondoniaovivo entrou em contato com o vereador Magnison Mota para saber se ele já foi chamado para prestar esclarecimentos sobre as ofensas que ele teria falado contra a mãe de santo.

“O advogado já respondeu lá o inquérito do Ministério Público. Só pediu pra conversar sobre como foi e pronto. Montamos o processo, mas está tudo tranquilo”, falou ele.



MPF investiga discurso de Magnison Mota (PSC) contra mãe de santo em Cacoal

O parlamentar ainda disse que ainda vai “atrás dela” para fazer uma notificação.

“Bom saber esse nome Yolanda, que eu não sabia. Essa pessoa, com certeza, estaremos indo atrás pra notificar ela, se é ela que está colocando os cartazes. Isso é bom”, explicou Magnison.

O Rondoniaovivo entrou em contato com o MPF para saber quais os próximos passos da verificação das ofensas cometidas contra a mãe de santo em Cacoal.

O órgão confirmou que procedimento existe e apura casos de intolerância religiosa. De acordo com o MPF, o caso foi enviado ao Ministério Público Estadual.

Entramos em contato com o MPE, que nos afirmou que iria verificar como está o andamento da apuração por parte deles. Mas até o fechamento desta reportagem, não tivemos retorno. Faremos a atualização da notícia assim que o posicionamento nos for enviado.


Fonte: Rondoniaovivo
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem