Maior lote de vacinas contra a covid-19 é recebido em Rondônia

140.580 doses de vacinas, sendo 51.480 da Pfizer e 89.100 doses da Astrazeneca para imunizar a população de Rondônia - Foto: Daiane Mendonça - Secom/Governo-RO


Porto Velho, RO - O maior lote de vacinas recebido do Ministério da Saúde (MS), desde o início da campanha de vacinação contra a covid-19 foi entregue em Rondônia, na tarde desta sexta-feira (22). Foram 140.580 doses de vacinas, sendo 51.480 da Pfizer e 89.100 doses da Astrazeneca. A recepção dos imunizantes ocorreu na sede da Rede Estadual de Frio, em Porto Velho.

Na solenidade de recepção das doses, o diretor geral da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Gilvander Gregório de Lima, voltou a falar sobre a importância da imunização da população contra a covid-19. “A vacina é o recurso que temos contra a covid-19, por isso é importante que todos se vacinem e assim possamos formar um círculo de proteção contra o vírus e suas variantes”, destacou.

O diretor também ressaltou a diminuição do período entre doses, que agora é de 28 dias entre primeira e segunda dose para todas as pessoas vacinadas. Nos períodos anteriores, chegava a um intervalo de até 90 dias, dependendo do tipo de vacina.

As vacinas da Astrazeneca, que chegaram ao estado de Rondônia são para atender adolescentes com a primeira dose, demais públicos previstos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação (PNO), com a segunda dose. Já os imunizantes da Pfizer são para atender as pessoas que já completaram 180 dias após a segunda dose e portanto, estão aptas a tomar a terceira dose (reforço).

Com as doses recebidas nesta sexta-feira, Rondônia contabiliza 2.694.708 doses de vacinas contra a covid-19 recebidas do Governo Federal, sendo:
  • Coronavac –   721.648
  • Astrazeneca – 886.650
  • Pfizer –         1.050.660
  • Janssen –          35.750

VARIANTES

O diretor também falou sobre o resultado dos exames contra a covid-19 enviados de Rondônia para serem analisados pela Fiocruz e que indicaram a presença das variantes Delta e Gamma (P.1), em pessoas de 14 municípios rondonienses. Foram 42 casos da variante Delta e 34 da Gamma, no total de 76 análises. Os exames são referentes ao mês de setembro deste ano. “Esse resultado reforça a importância da vacinação, para que possamos contribuir com a eficácia da vacinação, como medida de prevenção”, enfatizou Gilvander Gregório. “Precisamos frear o coronavírus e voltar à nossa rotina”, finalizou o diretor.

Postar um comentário

0 Comentários