Servidores municipais participam de palestra sobre comunicação em Libras nas unidades de saúde

 

Servidores municipais da área da saúde participaram, na última semana, de uma palestra que discutiu a importância da Língua Brasileira de Sinais (Libras) no atendimento a pacientes.

O objetivo foi mostrar como a capacitação de profissionais, que atuam nas unidades de urgência e emergência, é necessária para o atendimento da comunidade surda. Entre os convidados, esteve o tenente da Polícia Militar Marciney Costa, que usa a Libras durante o seu trabalho.

“Fico feliz em ver que a Semusa investe na capacitação desses profissionais. É de extrema importância para a área da saúde que eles aprendam o básico da língua de sinais”, afirma.

A fisioterapeuta Roseana Macedo, que participou do treinamento, destaca a importância da adesão à Libras para a atuação dos profissionais na área da saúde. “As aulas de capacitação de Libras são fundamentais, pois temos uma carência de profissionais que possam atender a pacientes surdos”, disse.

A Prefeitura de Porto de Velho forneceu a capacitação aos servidores das unidades de urgência e emergência como: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Unidades de Pronto Atendimento (Upas) da Zona Sul e Zona Leste, Policlínica Ana Adelaide, Policlínica José Adelino, Maternidade Municipal Mãe Esperança e o Centro Integrado Materno Infantil (Cimi).

“São cinco servidores de cada unidade que estão recebendo este treinamento”, informou a psicóloga Jane Carvalho Cardoso, Coordenadora de Formação e Capacitação de Servidores do Núcleo de Educação Permanente (Nugep).

O treinamento do curso Noções Básicas de Libras tem duração de três meses e é dividido em três módulos, com duração de 8 horas, cada. Ao final do curso, o servidor recebe certificação com carga horária total de 24 horas.

Postar um comentário

0 Comentários