Julgamento do assassinato de Clodoaldo Simões acontece dia 3



O Poder Judiciário de Rondônia vai retomar os julgamentos do Tribunal do Júri, suspensos desde o início da pandemia, em agosto. A retomada das sessões do júri está prevista na 2ª etapa Plano de Retorno Programado das Atividades Presenciais do Poder Judiciário do Estado de Rondônia, prevista no Ato Conjunto n. 020/2020-PR/CG.

O retorno leva em consideração legislações federais e a Resolução n. 322 do Conselho Nacional de Justiça, de 1º de junho de 2020, que estabelece, no âmbito do Poder Judiciário, medidas para retomada dos serviços presenciais, observadas as ações necessárias para prevenção de contágio pelo novo Coronavírus – Covid-19.

No dia 24 de agosto, o réu Rondermilson Gomes Rodrigues será julgado pelo Tribunal do Júri, em Cacoal. Ele é acusado de matar a facadas sua ex-esposa, Kauana Cristina Simões Rodrigues, na frente de seus dois filhos, em junho de 2019. Pela execução cruel, o caso ganhou ampla repercussão na mídia e, após dois anos, terá seu desfecho após o retorno dos julgamentos do Tribunal do Júri, que estavam suspensos desde março de 2020, em razão da pandemia

Além do julgamento, que teve Kauana como vítima, outro crime de repercussão a ser julgado na comarca de Cacoal é do irmão da ex-vereadora Maria Simões. Será o primeiro julgamento na comarca após a retomada, marcado para o dia 3 de agosto. Tiago Ribeiro Bispo será julgado pela acusação de matar com golpes de faca e canivete o enfermeiro Clodoaldo Simões.

Clodoaldo Simões era muito conhecido na cidade, com forte atuação no segmento social e comunitário. A crueldade de sua morte comoveu toda cidade. Ele foi morto na noite do dia 17 de janeiro de 2020.

O veículo da vítima foi encontrado abandonado, com manchas de sangue no banco, às margens do Rio Machado. O corpo de Clodoaldo foi encontrado em um carreador na Linha 06, sem roupas e com várias perfurações pelo corpo. O enfermeiro teria sido vítima de um crime passional. (Da Redação – Com informações do TJRO)

Fonte: Da Redação – Com informações do TJRO

Postar um comentário

0 Comentários