O que o Brasil pensa sobre anulação das ações de Odebrecht

O que o Brasil pensa sobre anulação das ações de Odebrecht

 

     Pesquisa indica que maioria discorda da decisão de Dias Toffoli de anular ações da Lava Jato sobre o empreiteiro, e a minoria que concorda é lulista

Porto Velho, RO. Uma pesquisa realizada pelo Instituto AtlasIntel iondica que 58,3% dos brasileiros discordam da decisão do ministro Dias Toffoli (foto), do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular todos os atos da Lava Jato contra o empreiteiro Marcelo Odebrecht. A pesquisa, feita a pedido do Estadão, foi realizada entre os dias 25 e 28 de março, ouvindo 1.650 pessoas por meio de questionários online.

De acordo com os resultados, 25,8% dos entrevistados dizem concordar com a decisão do ministro e 15,8% alegaram não saber opinar.

A pesquisa também apontou que a maioria dos apoiadores da decisão de Toffoli são eleitores do ex-presidente Lula, representando 37% desse grupo. Por outro lado, 36% deles discordam da decisão e 27% não souberam opinar sobre o assunto.

As decisões de Toffoli a favor da Odebrecht

Essa não é a primeira vez que o ministro Toffoli toma decisões favoráveis aos delatores da Odebrecht. Em setembro do ano passado, ele invalidou todas as provas obtidas nos sistemas de informática da empreiteira para uso em processos judiciais.

A decisão de Toffoli em anular os atos da 13ª Vara de Curitiba contra Marcelo Odebrecht mantém a validade do acordo de delação do empresário e também garante sua proteção contra processos e investigações nos 12 países onde a empreiteira admitiu ter pago propinas.

O brasileiro confia no STF?

A pesquisa Atlas também avaliou a confiança dos brasileiros no trabalho do STF. Os resultados mostram que 44,7% dos entrevistados confiam no trabalho e nos ministros do STF, enquanto 43,6% não confiam.

A área mais aprovada do tribunal é a defesa da democracia, liderada por Alexandre de Moraes. Já a área de combate à corrupção recebeu a menor avaliação ótima, com apenas 17% de aprovação.


Em relação à pesquisa anterior sobre o tema, realizada em fevereiro de 2024, houve uma pequena melhora na percepção sobre o trabalho do STF. Na época, apenas 42% dos entrevistados confiavam na instituição, enquanto agora são 45%. Os que não confiam também tiveram uma diminuição de 51% para 44%.
Decisão do TSE sobre Sergio Moro

Além disso, a pesquisa questionou os entrevistados sobre a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de manter o mandato de Sérgio Moro. Os resultados mostram que 43,2% acham que Moro deveria ter perdido o mandato, enquanto 39,2% concordam com a decisão do TSE. A rejeição a Moro é alta tanto entre os eleitores de Lula quanto entre os eleitores de Bolsonaro.


A metodologia utilizada na pesquisa Atlas é feita por meio de questionários online, mas difere das simples enquetes. O grupo entrevistado é controlado para ser representativo da população brasileira em termos de renda, escolaridade, sexo, região de moradia, faixa etária e religião. Isso permite que as respostas sejam dadas de forma anônima, evitando possíveis impactos psicológicos da interação humana durante a entrevista.

O STF foi procurado pelo jornal paulistano para comentar os números da pesquisa, mas preferiu não se manifestar. A pesquisa Atlas tem uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Fonte: oantagonista





Postagem Anterior Próxima Postagem