PF pede arquivamento de denúncia contra ex-prefeito Lucivaldo Fabrício por ´recebimento de propina´

A denúncia foi veiculada em um site, em junho de 2020, através de um vídeo

Porto Velho, RO - 
Após um ano e meio de investigações, a Polícia Federal em Rondônia pediu ao Ministério Público Federal o arquivamento do Inquérito Policial: IPL 2020.0056721-SR/PF/RO contra o ex-prefeito de Candeias do Jamari, Lucivaldo Fabrício, por ´recebimento de propina´.

A denúncia foi veiculada em um site, em junho de 2020, através de um vídeo, onde o servidor público Jonatan Emanoel Barros Pereira, lotado na Prefeitura da cidade, estaria provavelmente também envolvido em esquema de corrupção com o ex-prefeito Lucivaldo.

A denúncia chegou até o site jornalístico de caso pensado. O servidor ´perdeu´ o celular pessoal de propósito, junto com um envelope que contava sobre supostos casos de corrupção de Lucivaldo. O material foi entregue ao jornalista, autor da denúncia, por um mototaxista.

Segundo a denúncia, o ex-prefeito exigiu o pagamento de propina no valor de R$ 3 mil para liberar verbas de adicional de periculosidade retroativo do servidor, que era no valor de R$ 8,95 mil. A denúncia feita ao site foi feita pelo próprio servidor que afirma ter pago propina de R$ 1,6 mil em duas parcelas.

Confira o documento na integra:



Em diligências a PF identificou a transferência de R$ 1,6 mil para o ex-prefeito, mas não se comprovou se esse dinheiro se tratava realmente do pagamento de propina. Segundo a PF, Jonatan tinha uma dívida de R$ 2 mil com o ex-prefeito, relativo a um empréstimo que ele tinha feito com Lucivaldo.

“Na realidade, após as diligências, percebeu-se um viés político de toda a situação”, diz o delegado Alexandre Campelo, da Delegacia de Crimes Financeiros da PF, no relatório entregue à Procuradoria da República em Rondônia.

Confira o vídeo:


Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem