Urgente - Alguns vereadores de Porto Velho não comparecem para trabalhar na câmara municipal a mais de um ano

Mesmo com o fim da pandemia e seus salários em dias, alguns vereadores não aparecem em seus gabinetes a mais de um ano.

Porto Velho, RO - Mesmo com votação remota (modalidade não presencial), alguns vereadores estão mais preocupados com suas campanhas políticas e simplesmente não têm participado das votações da Câmara Municipal. Na semana passada, isso foi tema de uma reunião entre os vereadores, mas parece que não foi resolvido.

Hoje pela manhã, a sessão ordinária foi encerrada por falta de quórum e dois projetos de Decreto Legislativo para concessão de Cidadão Honorário do Município deixaram de ser votados. A situação gerou um certo mal-estar entre os vereadores presentes que não aceitaram a ausência injustificada dos colegas à votação.

O vereador Everaldo Fogaça (Republicanos) puxou a discussão em invocou questão de ordem e disse que, se não havia vereadores presentes, seria o caso de a sessão ser encerrada, mostrando ligeira insatisfação com a falta de compromisso de alguns membros do Legislativo e a repercussão que isso poderia causar negativa na mídia.

“A sessão começou atrasada e os vereadores parecem que não querem vir trabalhar hoje. A situação já saiu da razoabilidade. Daqui a pouco nós estamos aí estampados nos sites, nas rádios por causa dessa irresponsabilidade”, disse Everaldo Fogaça ao comentar que é favorável à volta da sessão presencial e duas vezes por semana.

A vereadora Ellis Regina lembrou que, devido à pandemia, o horário de sessão foi reduzido a apenas um dia da semana e de forma remota e, que mesmo assim, alguns colegas continuam a não comparecer nas votações, trazendo desgaste desnecessário à casa. A vereadora puxou a assinatura de um requerimento para retorno das sessões para dois dias da semana.

Os vereadores Everaldo Fogaça, Waltinho Canuto, Paulo Tico, Márcio Pacele e Bengala estavam presentes à sessão e concordaram com o requerimento da vereadora. Quem não gostou da insurgência desses vereadores foi o presidente Edwilson Negreiros que subiu à tribuna e falou que não permitiria a usurpação de suas prerrogativas de Chefe do Legislativo.

Após a fala do presidente, não houve mais clima para a continuidade da sessão. O vereador Márcio Pacele (que teve de retirar seu projeto de pauta), disse que não daria seu voto ao projeto do colega Raí (autor do último projeto da pauta). Isso porque Raí, em que pese ser o vice-presidente da Casa, foi um dos vereadores que estavam ‘off line’ e não comparece presencialmente ás sessões há muito tempo.

Fonte: Extra de Rondônia


Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem