Simulador de capotamento é utilizado pelo Detran na Rondônia Rural Show, para alertar sobre os cuidados no trânsito

Usuários são orientados como proceder em situações reais

Porto Velho, RO - Um veículo que simula acidente de trânsito com capotamento, tem por objetivo despertar a consciência dos condutores para que evitem situações semelhantes na vida real. A simulação do acidente é feita com o carro há 20 quilômetros por hora e dá para O condutor e passageiro terem uma ideia da gravidade do incidente. O uso do aparelho que simula o capotamento faz parte de uma das ações da campanha Maio Amarelo, realizada para conscientizar sobre os riscos de acidente de trânsito e as consequências.

Na Rondônia Rural Show, o Departamento Estadual de Trânsito – Detran/RO tem alertado os visitantes para os cuidados, no sentido de evitar o acidente, e caso ocorra, o que fazer para não agravar a situação dos envolvidos.

O diretor-geral do Detran Rondônia, Paulo Higo Ferreira de Almeida e a gestora da Secretaria de Estado da Saúde – Sesau, Semayra Gomes que conhecem bem as consequências dos sinistros de trânsito, resolveram fazer a simulação juntos. Paulo Higo foi o condutor e Semayra Gomes, a passageira.

“A experiência é aterrorizante, a sensação é horrível, o simulador estava há 20km por hora e a gente já sente as consequências e os efeitos do capotamento com baixa velocidade. O que eu passei não quero passar em momento algum da minha vida”, afirmou o diretor do Detran.

Gestores afirmam que sensação é muito próxima da realidade

A secretária da Saúde, Semayra Gomes também não gostou da sensação causada pelo simulador de capotamento. “Se fosse em uma situação real, provavelmente o condutor e passageiro estariam internados no Pronto-Socorro João Paulo II, em Porto Velho; é para lá que vão os pacientes de alta complexidade e geralmente ficam internados por um longo período”, ressaltou.

O coordenador de Sinistros e Estatísticas de Trânsito – Renaest do Detran, Iremar Torres Lima comenta que os dados de acidentes em vias sinalizadas, inclusive com semáforo, a maioria ocorrem por falha humana. Iremar Lima destaca que as maiores vítimas de sinistros de trânsito são os motociclistas, pois a frota é composta por mais de 50% desse tipo de veículo no Estado.

“Temos que nos preocupar, principalmente com os condutores de veículos que conduzem sob efeito de bebida alcoólica”, disse Iremar Torres.

CONSCIENTIZAÇÃO

O agente de trânsito do Detran Rondônia, Isac Barbosa explica que na simulação de capotamento, o condutor e o passageiro são orientados como proceder em situações semelhantes. “Orientamos o que fazer e o que não fazer em uma situação real de acidente com capotamento; se a decisão for errada, a pessoa pode sofrer lesões permanentes ou até perder a vida”, explica.

Em uma situação de capotamento, o momento do desembarque faz toda a diferença, comenta o agente de trânsito. “Dependendo da posição do veículo, se a pessoa for saí pela parte de baixo, a parte que está no solo; o carro pode virar em cima da pessoa, podendo agravar a situação, chegando a fraturar a coluna”, pontua.

Isac Barbosa chama a atenção para os equipamentos de proteção, o cinto de segurança não pode ter mais do que dois centímetros de folga, se tiver, pode estar desgastado. O veículos devem ser levados a um centro especializado para se fazer a devida troca ou a manutenção do equipamento.

O cinto de segurança com sensor, o proprietário deve ler o manual de instrução, que vai informar o prazo da troca ou revisão periódica. Cada veículo difere do outro, porque cada fabricante adota um procedimento. “Alguns modelos, o airbag só aciona se o condutor estiver usando o cinto de segurança. Ele aciona há 350km por hora, então é 0,33 milésimo de segundo para inflar”, finaliza Isac Barbosa.

PLANO DE REDUÇÃO DE MORTES

Durante reunião no dia 19 de abril, no Auditório Jerônimo Santana, no Palácio Rio Madeira – PRM, quando o Detran Rondônia se reuniu com representantes de instituições ligadas ao trânsito para debater a implantação do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito – Pnatrans, que propõe reduzir em 50% os sinistros de trânsito até 2030, a assessora técnica da Sesau, Annelise Soares Campos Lins de Medeiros, falou da superlotação no Pronto-Socorro João Paulo II, com acidentados de trânsito.

Na ocasião, Annelise Soares divulgou números de acidentados que deram entrada na JPII de janeiro até o dia 18 de abril de 2022, em que relata que os motociclistas são as principais vítimas. Em janeiro, a unidade hospitalar recebeu 142 pacientes vítimas de acidentes de trânsito, sendo que 124 eram motociclistas; em fevereiro, foram 135, sendo 117 motociclistas; em março, dos 143 acidentados, 128 pilotos de motos e até o dia 18 de abril, a unidade tinha recebido 78 acidentados, sendo 60 motociclistas. Apesar da maioria dos sinistros envolverem motociclistas, os veículos também têm parcela significativa de acidentados no trânsito.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem