Seosp apresenta na Rondônia Rural Show Internacional maquete do novo Sistema de Esgotamento Sanitário, que vai ser implantado no município de Ji-Paraná

Maquete do Sistema de Esgotamento Sanitário de Ji-Paraná em exposição no estande da Seosp na Rondônia Rural Show

Porto Velho, RO - As pessoas que visitam o estande da Secretaria de Estado de Obras e Serviços Públicos – Seosp, na 9ª edição da Rondônia Rural Show Internacional estão tendo a oportunidade de conhecer melhor o Programa de Aceleração do Crescimento – PAC. O destaque do espaço é a maquete do Sistema de Esgotamento Sanitário do município de Ji-Paraná, que será construído com recursos do programa e executada pelo Governo de Rondônia.

A maquete é uma estratégia de levar informações à população de forma mais didática, sobre o funcionamento do Sistema de Esgotamento Sanitário no município. Fazem parte da obra, a rede coletora com extensão de 440 km; 40 mil ligações domiciliares; 16 estações elevatórias e uma Estação de Tratamento de Esgoto – ETE.

Seosp assumiu a gestão do PAC desde dezembro de 2021

“Esta estação de tratamento será composta por um conjunto de lagoas (anaeróbicas e facultativas). Estas estruturas foram projetadas para tratar o esgoto de forma natural utilizando a luz do sol e bactérias anaeróbicas; assim diminuindo a quantidade de produtos químicos. Para ser tratado, o esgoto entra no desareanador (estrutura utilizada para interceptação e remoção de areia e material sólidos), passa pela lagoa anaeróbica que são menores e profundas”, explica a coordenadora do PAC em Rondônia, Graciele Dummer Pereira.

Ainda de acordo com a coordenadora, a profundidade serve para dificultar a entrada de raios solares, garantindo o desenvolvimento das bactérias anaeróbicas, que não gostam de luz e oxigênio. Nesta parte o esgoto é tratado e as bactérias se desenvolvem. Logo depois, o material entra nas lagoas facultativas que são lagoas maiores e rasas, permitindo a entrada da luz do sol.

A incidência solar vai deixar o líquido mais claro, e ao mesmo tempo vai ter mais bactérias (que utilizam oxigênio) para continuar o processo de limpeza. Depois de passar pelo tratamento a estimativa é que o esgoto alcançará 70% de pureza. Caso isto não ocorra, neste momento são feitos os testes de qualidade e havendo necessidade são introduzidos produtos para atingir o percentual de pureza. Somente assim, o esgoto é lançado no rio Machado.

Moradores de Ji-Paraná conhecem novo sistema de esgoto que será implantado na cidade

“O Sistema de Esgotamento Sanitário foi projetado para atender cerca de 90% da população jiparanaense. As equipes da Seosp têm trabalhado muito nesse projeto, que é de grande importância para o desenvolvimento social da cidade”, explicou o secretário da Seosp, Erasmo Meireles e Sá.

Para a implantação do sistema, em Ji-Paraná serão destinados R$ 148.625.629,49 (cento e quarenta e oito milhões, seiscentos e vinte e cinco mil, seiscentos e vinte e nove reais e quarenta e nove centavos), sendo R$ 123.803.760,84 (cento e vinte e três milhões, oitocentos e três mil, setecentos e sessenta reais e oitenta e quatro centavos) do Governo Federal e R$ 24.821.868,65 (vinte e quatro milhões, oitocentos e vinte e um mil, oitocentos e sessenta e oito reais e sessenta e cinco centavos) de contrapartida do Estado.

POPULAÇÃO

A curiosidade misturada à expectativa da população jiparanaense é grande em relação à obra. É o caso de Elanar Emassara, moradora do Bairro Urupá, a qual confessou que não vê a hora de acontecer a obra em sua comunidade. “Gostei muito de conhecer o estande da Seosp e saber que o projeto está sob a gestão do Governo de Rondônia. Quando for realizada em nossa cidade, com certeza vai melhorar a qualidade de vida da população”, disse.

Para Warlei Santos Neves, morador do Bairro Copas Verde, a instalação do sistema é relevante para a sociedade. “A explicação a partir da maquete foi muito didática. Fico muito feliz em saber que esse sistema vai captar o esgoto e evitar a poluição de rios e nascentes, tratando os resíduos de forma eficiente, para que haja um ambiente mais sustentável. A própria população vai sentir a redução da poluição dos rios e solos, evitando a questão da degradação do solo. A ideia é muito boa e bem-vinda”, destacou.

O sistema de tratamento, via PAC já está em ação nos municípios de Cacoal, Alvorado do Oeste e Presidente Médici. Futuramente o sistema também vai ser instalado em Jaru e Espigão do Oeste.

PAC

O programa foi lançado em 28 de janeiro de 2007, conforme Decreto n° 6.025/2007, pelo Governo Federal com o objetivo de acelerar o crescimento econômico do Brasil. O saneamento básico visa melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e preservar os recursos naturais, além de englobar uma série de serviços públicos, infraestruturas e instalações operacionais, envolvendo: abastecimento de água potável; esgotamento sanitário; limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos; além de drenagem e gestão de águas pluviais urbanas. A Seosp assumiu a gestão do PAC desde dezembro de 2021.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem