Saiba como identificar sinais de exploração e abuso sexual em crianças e adolescentes

No Brasil, a cada hora 3 crianças são vítimas destes crimes

Porto Velho, RO - De acordo com levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, entre março de 2020 e dezembro de 2021 foram registrados mais de 100.398 casos de estupro de vulnerável em vítimas do gênero feminino.

Apenas no primeiro semestre de 2021, mais de 24 mil crianças sofreram com algum tipo de violência. Por esta razão, a campanha Maio Laranja visa conscientizar a sociedade brasileira sobre a importância dos cuidados com crianças e adolescentes e sobre como reconhecer e denunciar qualquer tipo de crime.

Segundo o Panorama da Violência Letal e Sexual contra Crianças e Adolescentes no Brasil, feito pela UNICEF e FBSP, grande parte do número de mortes de crianças e adolescentes são violentas e partem, na maioria dos casos, de agressores conhecidos ou que fazem parte da família. Outro dado assustador revela que houve um aumento no número de ocorrências com crianças de até 4 anos, o que é preocupante para uma fase da primeira infância.

Para Janaína Teodósio, coordenadora do curso de Enfermagem da Estácio, uma das principais formas de combate a este problema social é a disseminação da informação e a educação dos pequenos. “A nossa sociedade continua agressiva e adoecida, perpetuando comportamentos inadmissíveis, e nosso papel enquanto cidadãos é lutar pelo direito destas pessoas, para que elas atravessem os primeiros anos da vida de forma tranquila e saudável”, afirma.

A especialista reforça que existem sinais de alerta que podem ser percebidos por adultos e que podem significar alerta. “Alterações no humor, agressividade ou vergonha excessiva, proximidade íntima com algum adulto, silêncio predominante, falta de sono e de concentração, aparência descuidada, traumatismos físicos, interesse precoce por assuntos sexuais e até mesmo enfermidades psicossomáticas, como dores de cabeça, vômitos e erupções na pele, que na verdade podem ser origem do trauma emocional”, pontua.

Com o objetivo de ajudar na orientação de crianças e adolescentes sobre o tema e sobre os perigos que podem existir até dentro de casa, professores e estudantes da Estácio FSP realizaram uma série de palestras e encontros educativos nas escolas da cidade de Novo Horizonte do Oeste, em Rondônia.

As atividades eram direcionadas para crianças de 3 a 11 e adolescentes de 12 a 18 anos, seguindo estratégias lúdicas para cada faixa etária. Para os mais novos, foram utilizados vídeos e fantoches para ilustração e explicação do que é abuso sexual e como denunciar.

Já para os mais maduros, além das explicações básicas sobre o assunto, também foram apresentadas aulas sobre educação sexual e ISTS. A iniciativa foi planejada pela docente Daiane Mara Ragazao, do curso de enfermagem, e foi executada junto com os estudantes do nono período.

Fonte: Diário da Amazônia

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem