Para Daniel Pereira, disputar o Senado é uma missão para fortalecer a base de Lula


Lula, Daniel Pereira e Geraldo Alckmin

Porto Velho, RO - O ex-governador de Rondônia, Daniel Pereira (Solidariedade) não está preocupado em ser ou não ser candidato ao Senado, mas que dentro da esquerda ele é o melhor quadro, o que teria mais chance de se eleger e chegar ao Senado para fortalecer a base de Lula. Com vasta experiência como sindicalista, deputado estadual, vice-governador e até governador do Estado de Rondônia por alguns meses, Pereira disse ao Mais RO que quer apenas prestar serviço ao estado.

Daniel Pereira classificou essa eleição para o Senado muito difícil e que ele estaria disposto a enfrentar os mais fortes adversários: Expedito Júnior (PSD) com muita bagagem em campanhas eleitorais; Mariana Carvalho (Republicanos) com a estrutura de dois mandatos de deputada federal e Jaqueline Cassol (PP), com toda a força econômica e política do irmão ex-governador e ex-senador Ivo Cassol.

Daniel Pereira: “Cada partido político poderá lançar os candidatos de sua conveniência nas próximas eleições, mas estamos construindo uma frente partidária há mais de noventa dias, onde todos vem defendendo suas pretensões, as quais acreditamos legitimadas por seus fóruns partidários. Todos sabemos que juntos seremos capazes de atingir alguns objetivos, cujo principal deles é eleger base para um eventual governo Lula.

Já fizemos isso em 2002 e precisamos fazê-lo novamente em 2022! Eleger Lula sem uma base forte no Congresso Nacional poderá deixá-lo à mercê do mesmo destino da Presidente Dilma. O povo brasileiro não merece passar por isso novamente. Todas as pretensões pessoais são legítimas, desde que elas não nos desvie do resultado final esperado. A posição do SOLIDARIEDADE, a nível nacional e local, é de apoio total a essa missão”.

Após o anúncio de que Daniel Pereira sairia ao Senado pela Frente Democrática, as redes sociais pegaram fogo, com mensagens contra e a favor. O pré-candidato ao Senado pelo PT, Ramon Cujuí disse que nada está definido ainda. Dirigentes do PT lembraram da prioridade do partido em eleger uma boa bancada federal para dar suporte à Lula, caso ele seja eleito presidente da República. No grupo do PT no Whatsapp, Cujuí disse que tudo será decidido no dia 28 de maio:

Fonte: MaisRO


Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem