Agevisa acompanha ações de segurança do paciente e controle de infecções hospitalares alusivas ao Dia Mundial da Higienização das Mãos

Boa higiene das mãos, ajuda na prevenção de doenças e os danos para a saúde dos pacientes e dos profissionais de saúde podem ser evitados

Porto Velho, RO - A coordenação de segurança do paciente e controle de infecção da Agência Estadual de Vigilância em Saúde – Agevisa de Rondônia, assistiu unidades de saúde de Porto Velho e do interior com ações de segurança do paciente e controle de infecções hospitalares alusivas ao Dia Mundial da Higienização das Mãos, 5 de maio.

O dia 5 de maio foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Dia Mundial da Higienização das Mãos, para dar visibilidade e apoiar a cultura da segurança e qualidade na assistência à saúde por meio das melhores práticas em higiene de mãos.

As coordenações internas de controle de infecção junto aos Núcleos de Segurança do Paciente das unidades de saúde de Rondônia mobilizaram, profissionais de saúde, pacientes e acompanhantes para dedicarem um tempo a higienização das mãos, com o objetivo de reforçar a importância da medida preventiva.

O diretor-geral da Agência Estadual de Vigilância em Saúde – Agevisa, Gilvander Gregório de Lima, afirma que a medida é fundamental para a prevenção de doenças, como a covid-19, que com a pandemia, o ato de lavar ou higienizar as mãos foi visto com maior valia e frequência na sociedade.

“A prevenção e controle de infecções, incluindo a higiene das mãos, é fundamental para alcançar a cobertura universal de saúde, pois é uma abordagem prática e baseada em evidências com impacto demonstrado na qualidade do atendimento e na segurança do paciente em todos os níveis do sistema de saúde” – afirma a gerente técnica de Vigilância Sanitária da Agevisa, Leiliane Brito

O coordenador estadual de Controle de Infecção da Agevisa, Gilmar Meireles reforça que tal medida simples, pode realmente contribuir para redução das infecções nos serviços de saúde e deve ser responsabilidade de todos, principalmente dos gestores das unidades em garantir os insumos para tal prática.

A coordenadora estadual de Segurança do Paciente, Rosa Maria Ferreira de Almeida complementa ainda a importância da participação e adesão dos profissionais de saúde e da comunidade para maior adesão a esta prática que é universal e que comprovadamente tem impacto positivo nos indicadores de qualidade do atendimento e segurança dos pacientes em todos os níveis do sistema de saúde.
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem