Preço da cesta básica sobe novamente em Porto Velho em janeiro

Campeões dos preços altos são o feijão, o café e o açúcar

Porto Velho, RO
- A pesquisa mensal feita pelo Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Economia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR) confirma mais uma vez os altos preços da cesta básica que os consumidores estão enfrentando há tempos.

Os produtos que compõem a alimentação mais básica da população ficaram com preço de R$ 530,44 em janeiro.

A alta foi apenas de 0,04%, na comparação com dezembro, quando a mesma cesta custava R$ 530,24. Porém, no acumulado dos últimos 12 meses já há um aumento de 17,73%. A cesta básica custa 16,33% a mais do que em janeiro de 2021.

Dos 12 produtos pesquisados, oito itens apresentaram novos aumentos em janeiro quando comparado com mês de dezembro: feijão (+ 13,27%), café (+ 7,31%), açúcar (+ 6,46%), farinha (+ 2,17%), pão (+ 1,52%), carne (+ 1,28%), manteiga (+ 0,9%) e óleo (+ 0,56%).

Queda

Os itens que deram um alívio no bolso dos consumidores foram apenas quatro: tomate (- 6,11%), leite (- 2,94%), banana (- 2,74%) e arroz (- 2,18%).

Em comparação com janeiro do ano passado, o susto com as subidas de preços é ainda maior: café (81,03%), tomate (49,73%), açúcar (41,95%), banana (17,3%), óleo (14,92%), carne (14,48%), farinha (7,16%), pão (6,92%), leite (5,82%), feijão (1,28%) e manteiga (1,16%).

O único produto que teve queda acentuada, de acordo com o levantamento da UNIR, em um ano foi o arroz (- 19,84%).

Os doze produtos da que compõem a cesta básica são pesquisados em diversos estabelecimentos comerciais da cidade de Porto Velho.


Fonte: Rondoniaovivo
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem