Rondônia tem 11 mortes e 12 pessoas internadas na UTI pela influenza


Uma mulher de 31 anos está em estado grave, com “flurona”, dupla infecção por influenza e Covid; Ela não se vacinou contra as doenças

Porto Velho, RO - 
No final da tarde da terça-feira (04), a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) repassou ao jornalismo, um boletim sobre a situação da gripe (influenza H3N2) no estado.

A situação é considerada preocupante, já que até o momento já morreram 11 pessoas, sendo 3 mulheres, 6 homens adultos e duas crianças: uma menina de 4 anos de idade e um menino de 2 anos (ambos de Porto Velho).

No total há 23 pessoas internadas com a doença, sendo 12 em estado grave em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). São 4 homens, 6 mulheres, uma adolescente de 14 anos e uma menina de 6 anos de idade.

Ainda segundo a Sesau, a paciente está intubada, com infecções causadas pelas duas doenças. “Ela não tinha se vacinado nem para a influenza nem para a Covid”, disse o titular do órgão, Fernando Máximo.

O representante da Sesau ainda pede que as pessoas continuem se vacinando contra a gripe e o coronavírus, além do uso das máscaras, evitar as aglomerações e a limpeza das mãos com álcool em gel.


Detalhes

A dupla infecção começou a ser chamada de “flurona”, que é uma mistura das palavras “flu” (gripe em inglês), com parte da palavra “coronavírus”.

A paciente está internada no Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), em Porto Velho.

A “flurona” acontece quando os dois testes – para gripe e para Covid – dão positivo.

A gripe, como é chamada a infecção pelo vírus influenza, apresenta sintomas agudos logo nos primeiros dias da doença, como febre alta, tosse, dor de garganta, coriza e congestão nasal.

Já nos casos de Covid-19, a doença começa a evoluir a partir do 7° dia, podendo ou não levar a um quadro de insuficiência respiratória.

Fonte: Rondôniaovivo
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem