Governo de Rondônia vem oferecendo respostas positivas A força do cooperativismo


A íntegra da coluna redigida pelo jornalista José Luiz Alves

Porto Velho, RO - Reforma agrária e desenvolvimento regional; Rondônia vem oferecendo respostas positivas; A força do cooperativismo

Com objetivo de debater sobre a importância de obras estruturantes para o desenvolvimento no estado de Rondônia, atendendo a uma proposta do senador Acir Gurgacz (PDT-RO), presidente da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) no Congresso Nacional, na segunda-feira (6), na Câmara de Vereadores de Buritis, autoridades e produtores estarão reunidos levantando questões importantes em termos regionais.



No centro dos debates temas como os planos para o desenvolvimento regional, regularização fundiária, as obras na rodovia 421, assim como a duplicação da BR 364, uma das bandeiras do senador Acir Gurgacz, uma obra necessária para o desenvolvimento do agronegócio. 

A duplicação da BR 364, se faz necessário, não só pela força do escoamento da economia do estado, mas acima de tudo para evitar que vidas continuem sendo ceifadas, quase todas as semanas.

Os agricultores fizeram!


Alysson Paulinelli, min Agricultura no governo de Ernesto Geisel

Na década de 1970, o Brasil, importava soja, arroz, milho, carne e tantos outros produtos de países vizinhos para o abastecimento interno. Foi quando o então ministro da Agricultura, Alysson Paulinelli, propôs que para deixar essa dependência, era necessário se criar tecnologias para melhorar a produção no campo. 

Essa semana ao participar de um evento em Porto Velho, o ex-ministro declaro que elaborou os planos que transformaram o agronegócio brasileiro que de importador passou a grande exportador respondendo: “apresentei as propostas os agricultores promoveram as transformações com trabalho e tecnologia, o mérito é deles!” 

Com a humildade de quem sabe, reconheceu que nesta revolução silenciosa no campo os agricultores fizeram a parte deles. Alysson Paulinelli, também destacou a presença dos jovens produzindo no campo para manter o Brasil em posição privilegiada como produtor de alimentos.

Balanço positivo



O Secretário de Agricultura, Evandro Padovani, apresentou um balanço positivo, das atividades de sua pasta neste ano que esta findando. Relatou que a produção de soja, por exemplo, está cultivando nesta safra de 2021/2022, mais de 500 mil hectares de lavouras cultivadas. 

Lembrou o sucesso o da piscicultura, da colheita do café, da produção de leite, o incentivo para a cultura do cacau, assim como o sucesso das exportações de grãos, carne e algodão. 

Acentuou que mesmo diante de uma pandemia com o apoio do governador Marcos Rocha, o agronegócio evoluiu no estado e que não faltou incentivo aos pequenos produtores rurais. É verdade, mesmo diante de uma crise, quase insustentável, o estado de Rondônia vem oferecendo respostas positivas para a economia regional.

Região central

O representante do SICOOB na região central do estado, Oberdam Hermita, frisa que naquela vasta área produtiva, em que predominam pequenos e médios produtores rurais, a instituição congrega mais de 80 mil associados, mostrando a força do cooperativismo. 

O SICOOB apoio, os produtores de café que foram premiados em Minas Gerais, essa é uma nova realidade no estado de Rondônia que não há mais como fugir dela. Ou os pequenos se unem ou quebram.

Convite

Através da Secretaria de Agricultura, o governo do estado convida para o lançamento da implantação da primeira fase da Central de Abastecimento de Rondônia (CEARO), no dia 17 às 9 horas, no Distrito Industrial de Porto Velho. 

Há uma expectativa positiva entre os produtores rurais, defendida inclusive pelo presidente da Federação de Agricultura de Rondônia (FAPERON), Hélio Dias, pelo que representa para o setor produtivo.

Agradeço!

Tenho recebido mensagens de felicitações pelo Natal que se aproxima de muitos amigos e colegas de profissão, inclusive de outros estados. Porém, causou surpresa a entrega de duas cestas de Natalina, uma enviada pela diretoria do Sistema de Cooperativas de Rondônia, recheada com vinhos e saborosas e iguarias e outra da presidência do Banco do Povo, que além do vinho, panetone e doces, acompanhou um peru. 

Lá na fronteira do Brasil com Argentina, no rincão onde nasci, dizem que “o pobre só saboreia peru, quando um dos dois esta doente”. Estou com boa saúde, agradecendo pelas lembranças!

Fonte: Por José Luiz Alves
Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem