Vereador faz novas denúncias, diz que 1ª dama recebia R$ 13 mil de deputado, quer CPI e chama Fúria de “fanfarrão e mentiroso”


Vereador Paulo Henrique, prefeito Fúria e esposa / Foto: Extra de Rondônia

Porto Velho, RO - Em novo capítulo do caso dos “Rejeitos de Asfalto”, o vereador Paulo Henrique (PTB), usou a tribuna da Câmara, na sessão ordinária desta segunda-feira, 27, para fazer novas denúncias contra o prefeito Adailton Fúria (PSD), em Cacoal 

O caso gera uma série de acusações entre o prefeito e o parlamentar, com desdobramentos todos os dias e já envolveu até um apresentador de TV na cidade.

Agora, Paulo Henrique chamou Fúria de fanfarrão e mentiroso, por acusações contra o parlamentar para desviar as atenções do que seria um crime de improbidade administrativa.

Na tribuna da Casa de Leis, o vereador lembrou o recente evento automotivo que aconteceu na chácara do prefeito, local das denúncias, com o registro de um grave acidente envolvendo um motoqueiro que acabou passando por cirurgia na perna.

Na ocasião, o prefeito participou do evento – e conforme o vereador – utilizando um carro oficial da prefeitura, o que caracterizaria ato e improbidade pública. “Foi com o mesmo veículo que o prefeito socorreu um garoto que sofreu acidente e teve que passar por cirurgia devido ao ferimento exposto.

E olhem só o que descobri: o próprio prefeito levou o rapaz ferido para o hospital e, curiosamente, resolveu medicá-lo. Aqui, duas denúncias graves: primeiro, a possibilidade desses medicamentos que o paciente recebeu poder ser da rede pública. 

O laranja do prefeito falou que os medicamentos não tinham notas. E, segundo, o uso, no evento, da camioneta Hilux, branca, de placa 2290, pertence ao município de Cacoal. 

Transportou o paciente no carro e o jogou no Heuro com a promessa de que iria arcar com todos os custos. o motoqueiro Welington pediu várias vezes para o prefeito levar ao hospital particular, fato ignorado por fúria por achar que iria assumir a responsabilidade. O rapaz ficou chateado pois tinha condições de pagar seu tratamento”, analisa.

Paulo Henrique disse ainda que o carro oficial, nesse mesmo dia, levou duas multas. “Todos os documentos estão aqui para instaurar uma Comissão para investigar o uso indevido da máquina pública. E falam que sou eu que estou perseguindo o prefeito?”, questiona.

Continuando seu raciocínio, o parlamentar disse que a esposa do prefeito, Juliane Tamires, que atualmente é Secretaria Municipal de Administração (Semad), estava na bilheteria do evento automotivo.

“Curiosamente, é ela que recentemente essa assessoria de um deputado federal e recebia R$ 13 mil de salário. O prefeito deve explicações à sociedade cacoalense sobre os rejeitos de asfalto em sua propriedade e não investigar incriminações contra minha pessoa. O prefeito é um fanfarrão, mentiroso. Ele mente e mente para fugir de suas responsabilidades”, desabafou.

Documento obtido pelo Extra de Rondônia confirma que Juliane Tamires recebia R$ 13.272,00 no cargo de secretária parlamentar no gabinete do deputado federal Expedito Netto (PSD), do mesmo partido do prefeito cacoalense.

Fonte: Extra de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários