DER avança nos serviços de reabilitação da rodovia 460 em Buritis



Já são três quilômetros de base 100% restaurada e apta para receber a capa asfáltica que inicia nesta quinta-feira

O Governo de Rondônia, por meio do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) trabalha com qualidade e técnica na execução da obra de reabilitação de 54 quilômetros da RO-460, onde os serviços de estudos do solo, preparação da base e sub-base, revestimento primário, terraplanagem, alargamento da pista e construção de uma ciclovia seguem a todo vapor no município de Buritis.

De acordo com o residente Regional de Ariquemes, Rogério Jesus Nicácio, já são três quilômetros de base 100% restaurada e apta para receber a capa asfáltica. Assim, nesta quinta-feira (5), os primeiros mil metros de pavimentação serão iniciados pelas equipes da Usina de Asfalto. “O governador Marcos Rocha, e o diretor-geral do DER, Elias Rezende, pediram celeridade nos trabalhos de reabilitação da rodovia 460 que encontrava-se em péssimas condições de trafegabilidade, causando inúmeros transtornos aos que trafegam na região. Estamos realizando todas as etapas de forma correta para que os trabalhos alcancem excelentes resultados”.

Acompanhando constantemente o processo de execução in loco, o diretor-geral do DER, Elias Rezende, informa que os trabalhos iniciaram no dia 20 de maio de 2021, com a presença do chefe do Executivo Estadual, que fez questão de ir até Buritis para verificar de perto a situação da rodovia, que é de grande importância econômica para Rondônia, interligando Buritis à BR-421, sentido Ariquemes.

“Esta é mais uma obra grandiosa que faremos com recurso próprio do Governo de Rondônia para proporcionar um resultado histórico na região de Buritis. Os trabalhos representam uma verdadeira união entre as equipes das Residências Regionais de Ariquemes, Buritis e Usina de Asfalto de Porto Velho que encontra-se instalada em Ariquemes. Será um fim definitivo dos transtornos que se arrastavam há décadas com uma infinidade de trabalhos de manutenção do asfalto, o que não durava muito, pois a capa já estava completamente deteriorada e precisava ser refeita do zero, desde a sub-base”, finaliza Rezende.

Fonte: Secom

Postar um comentário

0 Comentários